Sindicato Rural inicia o programa de Assistência Técnica e Gerencial nas propriedades rurais


O Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-RS) acaba de completar um ano de atividades no Rio Grande do Sul, atendendo até agora cerca de 2.712 produtores nas cadeias produtivas da agricultura (grãos), bovinocultura de corte, bovinocultura de leite, ovinocultura e, mais recentemente, da fruticultura.


Na última semana foi a vez do Sindicato Rural de Não-Me-Toque dar início ao seu grupo de agricultura, com 30 produtores rurais participantes de Não-Me-Toque, Victor Graeff e Lagoa dos Três Cantos. Durante dois anos, eles receberão acompanhamento mensal especializado e gratuito; não é necessário ser associado ao Sindicato. O objetivo é que, adotando algumas práticas técnicas e gerenciais, o produtor consiga ampliar a eficiência, a produtividade e o lucro de seu negócio.


A técnica de campo selecionada pelo Senar e responsável pelo grupo é a agrônoma Ana Rubia Graff e o supervisor de campo o agrônomo Delmir José Jonatto. Ambos estiveram na sede do Sindicato na terça-feira (04) em reunião com a presidente Teodora Lütkemeyer e a secretária Ana Cláudia Stumm, para alinhar alguns procedimentos, e em seguida, já deram início as visitações técnicas nas propriedades rurais inscritas.


A presidente do SR, Teodora, comenta sobre a oportunidade de participar de programas como este, lembrando que isso é fruto da contribuição do próprio produtor que recolhe um percentual para o Senar junto ao Funrural: “Estamos entusiasmados com o início do nosso grupo do ATeG, que devido a questões da pandemia e outros impasses teve que ser adiado, mas agora começa com força total. Essa assistência que envolve tanto a parte técnica quanto a gerencial vai auxiliar muito o produtor a realizar sua produção de forma adequada através de dados técnicos produtivos e econômicos, e especialmente, a fazer o gerenciamento e planejamento do negócio, que é uma das maiores dificuldades que observamos no campo. Na produção normalmente já se tem bastante conhecimento, mas nem todos sabem calcular o seu custo real, nem como produzir mais gastando menos, ter mais lucratividade e por aí vai. Eu também farei parte deste grupo pois é uma grande oportunidade de aprendizado e temos que aproveitar para usufruir dos investimentos feitos pelo Senar através da contribuição paga pelo produtor”, salientou Teodora.


O programa segue modelo nacional de metodologia desenvolvido pelo Senar Nacional e foi customizado conforme características e realidade do Rio Grande do Sul. Cada produtor recebe um caderno para fazer anotações e acompanhamentos de tudo o que acontece na propriedade. O técnico usa esses dados para alimentar um sistema informatizado que faz as análises gerenciais.

O trabalho é orientado por cinco etapas, conforme explica a agrônoma Ana Rúbia: “Inicialmente é feito o diagnóstico da propriedade, momento de conhecer como cada produtor trabalha, a metodologia que usa e identificar dificuldades e potencialidades do local. Na segunda etapa ocorre o planejamento estratégico, estabelecendo metas, atividades e alterações essenciais. Em seguida, na terceira e quarta etapa, é verificado a necessidade de adequação tecnológica, sempre respeitando a realidade de cada um, e de capacitação e formação complementar. E finalizando então, é feito a avaliação dos resultados”.


O superintendente do Senar-RS, Eduardo Condorelli, ressalta a colaboração dos produtores rurais que participarão do programa. "É extremamente gratificante podermos fazer aquilo para o qual fomos criados: utilizar o conhecimento como ferramenta de sucesso. E temos que agradecer a estes produtores, porque sabemos que não é fácil abrir as portas das nossas casas e expor as nossas virtudes e os nossos defeitos para pessoas que são estranhas ao nosso convívio. Mas os produtores entendem que o Senar-RS vem para colaborar e colocar a sua família em uma situação melhor de vida".


Para formar o grupo, o Sindicato contou com o apoio e divulgação do Sicredi, Sindicato dos Trabalhadores Rurais dos municípios, Prefeitura Municipal de NMT e a Emater.


O Sr. Ari Kaipers, de Vila Conceição - Não-Me-Toque

foi o primeiro produtor do grupo a receber a visita técnica.

Informações à Imprensa:

Sindicato Rural NMT

Redação: Ana Cláudia Stumm

54 3332-1621/ 54 98429-7166

sindiruralnmt@dgnet.com.br

facebook.com/sindicatoruralnmt

instagram.com/sindicatoruralnmt

Clique aqui para falar com a gente!