top of page

Segurança Alimentar: Sindicato Rural promove Curso de Boas Práticas na Fabricação, exigido pela Anvisa em serviços alimentícios

A crescente exigência em relação à segurança alimentar e qualidade dos produtos está moldando o cenário da indústria alimentícia.


Buscando mais informações sobre a origem dos alimentos, os métodos de produção e os processos de segurança adotados pelas empresas, os consumidores estão demandando padrões alimentares mais elevados.


Além da demanda de quem consome, os setores alimentícios precisam atender às determinações legais da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), como o cumprimento da Resolução RDC 216, de 15 de setembro de 2004, que estabelece procedimentos de Boas Práticas na Fabricação de Alimentos (BPF), a fim de garantir as condições higiênico-sanitárias do alimento preparado, visando a proteção à saúde da população.


Dentre as diretrizes da BPF está a exigência de curso de capacitação para os responsáveis pelas atividades de manipulação de alimentos, que deve ser comprovado mediante certificado/documentação.


Nesse contexto, o Sindicato Rural de Não-Me-Toque promoveu nos dias 15 a 19 de janeiro o Curso de Boas Práticas na Fabricação de Alimentos, gratuitamente através do Senar-RS (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural). Com a instrução de Gaspar Scheid, os participantes aprenderam sobre o monitoramento da saúde dos colaboradores, controle de água e limpeza dos reservatórios, o controle integrado de pragas e vetores, recebimento de matérias-primas e insumos, qualidade e higiene dos equipamentos, móveis e utensílios, o processamento, embalagem, rotulagem, armazenamento e transporte dos alimentos, elaboração de manual de boas práticas e a criação de Procedimentos Operacionais Padrão, entre outros conteúdos. Eles receberão certificado de conclusão.


Atuando junto com as agroindústrias do município, a servidora da Secretaria Municipal de Agricultura, Cristina Napp, também participou do curso para conhecer mais sobre as práticas necessárias, e salientou que a capacitação é pré-requisito para o funcionamento dos estabelecimentos de serviços de alimentação. “O curso de BPF é exigido para a concessão e renovação dos alvarás sanitários dos estabelecimentos, como no caso das agroindústrias. Compreender os fundamentos dessas práticas é crucial para evitar contaminações, preservar a integridade dos alimentos e atender às normas regulatórias, além de auxiliar na padronização de processos e otimização da produção ”, disse Cristina.


A presidente do SR, Teodora Lütkemeyer, reiterou que o Sindicato está à disposição para organizar mais turmas da capacitação, podendo ser realizada também nos municípios de abrangência da entidade - Lagoa dos Três Cantos e Victor Graeff, sempre de forma gratuita pelo Senar: “Aqueles que tiverem interesse em se adequar às exigências e realizar o curso, podem informar o nome na Secretaria do nosso Sindicato ou nas Secretarias Municipais de Agricultura e Vigilâncias Sanitárias, que então solicitamos ao Senar, sendo preciso no mínimo 8 participantes para fechar uma turma”.


A Regulamentação considera como serviços de alimentação aqueles que realizam algumas das seguintes atividades: manipulação, preparação, fracionamento, armazenamento, distribuição, transporte, exposição à venda e entrega de alimentos preparados ao consumo, tais como cantinas, bufês, confeitarias, cozinhas industriais e institucionais, lanchonetes, padarias, pastelarias, restaurantes, agroindústrias e outros.


Para saber mais, leia a Resolução no link https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2004/res0216_15_09_2004.html ou procure a Vigilância Sanitária do seu município.

 

Informações à Imprensa:

Sindicato Rural de Não-Me-Toque

Texto: Ana Cláudia Stumm

Site: sindiruralnmt@dgnet.com.br Whatsapp: 54 3332-1621

Facebook/Instagram/Linkedin: @sindicatoruralnmt


Clique aqui para falar com a gente!
bottom of page